Você está em - Home - Artigos - Segundo trimestre-maternas marcadores séricos em gestação gemelar com mola completa: relato de 2 casos

Segundo trimestre-maternas marcadores séricos em gestação gemelar com mola completa: relato de 2 casos

Apresentamos no segundo trimestre níveis de marcadores séricos em casos de gravidez gemelar com mola hidatiforme completa e um feto coexistente (CHMCF). Segundo trimestre, os níveis de inibina A (InhA) não tenham sido previamente relatada em tais casos. No segundo trimestre de triagem soro materno, alfa-fetoproteína (AFP), estriol não conjugado (UE3), gonadotrofina coriônica humana (hCG), e as medições inhA combinado com a idade materna para estimar o risco de um paciente da síndrome de Down durante a gravidez foi realizado como um pré-natal de rotina teste em 2 casos de CHMCF. Os registros hospitalares, contendo dados de marcadores séricos, a história do doente, relatórios de patologia, e gravidez foram revistos. Em casos de CHMCF, soro materno AFP e UE3 níveis foram semelhantes aos de uma gravidez normal singleton, enquanto que os níveis de hCG e InhA foram marcadamente aumentada. No segundo trimestre maternas perfis de marcadores séricos em casos de CHMCF são um composto de secreções normais tecidos únicos e molar. Nós descobrimos que, pela primeira vez, que os níveis no segundo trimestre inhA são marcadamente aumentada nestes casos. Os níveis dos marcadores séricos pode ser útil no diagnóstico de CHMCF, aconselhamento pré-natal, e avaliação do risco para a doença trofoblástica persistente.

Fonte: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/15765203



Texto Original

We present second-trimester serum marker levels in cases of twin pregnancy with complete hydatidiform mole and a coexistent fetus (CHMCF). Second-trimester inhibin A (InhA) levels have not been previously reported in such cases. Second-trimester maternal serum screening, alpha-fetoprotein (AFP), unconjugated estriol (uE3), human chorionic gonadotropin (hCG), and InhA measurements combined with maternal age to estimate a patient's risk of Down syndrome during pregnancy was performed as a routine prenatal test in 2 cases of CHMCF. Hospital records containing serum marker data, patient history, pathology reports, and pregnancy outcome were reviewed. In cases of CHMCF, maternal serum AFP and uE3 levels were similar to those of a normal singleton pregnancy, whereas hCG and InhA levels were markedly increased. Second-trimester maternal serum marker profiles in cases of CHMCF are a composite of normal singleton and molar tissue secretions. We have found, for the first time, that second-trimester InhA levels are markedly increased in these cases. Serum marker levels may be useful in diagnosis of CHMCF, prenatal counseling, and evaluation of risk for persistent trophoblastic disease.

Desenvolvimento WSB