Você está em - Home - Artigos - A influência da origem étnica em marcadores bioquímicos no primeiro trimestre de anormalidades cromossômicas.

A influência da origem étnica em marcadores bioquímicos no primeiro trimestre de anormalidades cromossômicas.

Em um estudo primeiro trimestre de 5422 mulheres caucasianos, afro-caribenhos 752 mulheres e 170 mulheres asiáticas que têm mostrado que a mediana soro materno MoMs marcador de beta-hCG livre e PAPP-A foram de 19% e 48% maior em afro-caribenhos mulheres e 19% maior e 35% maior em mulheres asiáticas, em comparação com mulheres brancas. Corrigindo o peso materno fez pouca diferença para o efeito em afro-caribenhos (21% e 57% maior após a correção de peso), mas reduziu o efeito em asiáticos (4% e 17% maior após a correção de peso). Estima-se que para corrigir para peso materno e etnia global iria aumentar a taxa de detecção por um 1,4% modesto. No entanto, o efeito sobre o risco de um indivíduo pode resultar em tanto como um aumento de duas vezes o risco paciente específico de trissomia 21. O impacto da origem étnica parece ser maior do que a observada com os marcadores de segundo trimestre e estudos bioquímicos maiores são necessárias a fim de desenvolver algoritmos robustos para corrigir para a origem étnica no primeiro trimestre.

Fonte: http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/10861715



Texto Original

In a first trimester study of 5422 Caucasian women, 752 Afro-Caribbean women and 170 Asian women we have shown that the median maternal serum marker MoMs for free beta-hCG and PAPP-A were 19% and 48% higher in Afro-Caribbean women and 19% higher and 35% higher in Asian women, compared to Caucasian women. Correcting for maternal weight made very little difference to the effect in Afro-Caribbeans (21% and 57% higher after weight correction) but reduced the effect in Asians (4% and 17% higher after weight correction ). It is estimated that correcting for maternal weight and ethnicity overall would increase the detection rate by a modest 1.4%. However, the effect on an individual's risk could result in as much as a two-fold increase in the patient specific risk for trisomy 21. The impact of ethnic origin seems to be greater than that observed with second trimester biochemical markers and larger studies are required in order to develop robust algorithms for correcting for ethnic origin in the first trimester.

Desenvolvimento WSB